VIAGEM COM PROPÓSITO: TURISMO SOLIDÁRIO

Um dos textos mais acessados aqui do Cities é “Viagem com propósito – tire um período sabático trabalhando” onde comento sobre uma plataforma que conecta empresas e pessoas que querem tirar um ano sabático viajando mas trabalhando ao mesmo tempo. Há muito tempo quero escrever mais sobre esse mesmo tema e outras formas de viagem com propósito.

Recentemente também escrevi sobre mulheres que viajam sozinhas onde menciono o documentário “Um Dia Eu Voltaria” produzido por Leticia Mello, escritora do livro “Do For Love” onde ela relata o que aprendeu em sua viagem de 6 meses como voluntária no Sudeste Asiático (Tailândia, Camboja e Vietnã) e nos faz refletir sobre as nossas escolhas e o que verdadeiramente nos motiva. Depois de lançar o livro, ela voltou à Ásia para gravar um documentário independente revisitando lugares das histórias do livro e reencontrando importantes personagens.

Viajar, conhecer outros países e ao mesmo tempo fazer trabalho voluntário é definitivamente uma forma de viagem com propósito. Chamado de viagem solidária, turismo social, intercâmbio de voluntariado ou “férias do bem” vem atraindo cada vez mais viajantes e cresce de 20% a 30% ao ano no Brasil.

31_turismo social_3_wwoof

Existem inúmeros relatos sobre o quanto é transformador uma viagem com trabalho voluntário. Mais do que conhecer novos destinos e culturas diferentes, as viagens como voluntários nos trazem outra perspectiva sobre o turismo consciente, uma nova forma de conhecer lugares ajudando comunidades locais de forma inovadora.

Desse jeito temos a chance de dar algo de volta, compartilhando habilidades e conhecimentos, e dedicar nosso tempo durante uma viagem para ajudar uma causa que acreditamos, conhecer novas pessoas, abrir nossa visão para outras realidades, além de contribuir diretamente e positivamente com o desenvolvimento da região que visitamos.

Existem inúmeras formas de fazer turismo voluntário. Uma rápida pesquisa nos traz uma avalanche de informações sobre o tema. Inúmeros sites, instituições, agências e até um curso para aprender as melhores práticas para o voluntariado de forma responsável e eficaz do Global Travel Academy (em inglês).

Muitas pessoas pensam que trabalho voluntário envolve basicamente ONGs, mas a verdade é que tem gente procurando voluntários para tudo: ajudar em fazendas de agricultura orgânica, reformar casa, construir barcos, cuidar de gatos, levar crianças para escola, dar aula para crianças carentes, auxiliar refugiados, dar banho em cachorro, etc. Nesse caso é chamado, muitas vezes, de work exchange em que o trabalho é pago sem envolver dinheiro – cama e refeições são as moedas de troca.

Existem sites onde os “anfitriões” de todo mundo procuram ajuda. Uma pequena taxa de adesão é muitas vezes necessária para acessar detalhes das vagas, mas o alojamento e a alimentação são fornecidos em troca de seu trabalho.

31_turismo social_2_wwoof

Talvez você também ache que isso é coisa para estudantes ou jovens, o que também não é verdade. Obviamente alguns hosts podem preferir voluntários mais jovens, especialmente se tiverem um negócio voltado para o público jovem. Da mesma forma, alguns hosts podem preferir voluntários mais maduros por terem um público mais maduro ou por confiarem mais em alguém que não tenha recentemente se tornado um adulto. Definitivamente existem opções para todas as idades, mas você pode receber alguns ‘nãos’ até ter uma resposta positiva, independente de ser jovem ou não.

Mas se seu interesse é mesmo trabalhar buscando impactar positivamente uma comunidade e o desenvolvimento de uma região, existem diversas formas: as organizações sem fins lucrativos que promovem viagens de intercâmbio voluntário principalmente para estudantes na graduação; as empresas especializadas que cobram uma taxa para intermediar a negociação com ONGs ou organizações que precisam de voluntários; as agências de intercâmbio para quem prefere já ter tudo acertadinho, desde o começo da viagem – a vantagem é que o interessado tem mais facilidades na hora de escolher um destino e um trabalho específico.

31_turismo social_1

Acredito que quem tem o desejo de fazer uma viagem solidária deve sim investir um tempo pesquisando e selecionando algumas opções de acordo com seus interesses. Até porque algumas pessoas preferem não ter a ajuda dessas agências que fazem a intermediação – e costumam cobrar por isso – optando por fazer contato direto com os projetos locais, portanto é essencial saber qual seu estilo de viajante e pesquisar.

Então minha proposta aqui é reunir alguns links que achei mais esclarecedores para começar o planejamento de uma viagem solidária além de oferecer inspiração para quem tem esse desejo.

“Passamos muito tempo vivendo de desculpas. Algumas pessoas, a vida toda. Me libertei disso quando resolvi encarar um sonho. E percebi que tinha todas as condições para realizar. E que as desculpas que criamos são na verdade o medo de ver o sonho se realizando. Hoje, meu maior sentimento é de gratidão e de respeito aos meus próprios sentimentos. Pensar que tudo que eu vivi, todas as pessoas que conheci, os sorrisos, os lugares, as situações e os momentos inexplicáveis que eu pude vivenciar vieram dessa simples atitude, um tanto louca, de atravessar o mundo para voluntariar em troca de alimentação e acomodação. Cada experiência e cada aprendizado só existem por eu ter acreditado naquilo que não era explicável para a maioria das pessoas. Hoje, eu tenho muito mais medo de não viver do que morrer, já que a morte é inevitável e imprevisível e a vida é uma escolha diária.”
Leticia Mello no documentário “Um Dia Eu Voltaria”

Um vídeo muito amor e muito inspirador:

Artigos úteis sobre o tema:

Algumas matérias úteis que listam as principais organizações, agências e formas de fazer turismo solidário realizadas pelos sites Viagem e Turismo, Portal G1 e Catraca Livre Viagem.
https://viagemeturismo.abril.com.br/blog/vou-estudar-fora/5-maneiras-de-viajar-e-fazer-trabalho-voluntario/
http://g1.globo.com/turismo-e-viagem/noticia/2015/06/turismo-social-permite-conhecer-o-mundo-fazendo-trabalho-voluntario.html
https://catracalivre.com.br/geral/viagem-livre/indicacao/trabalho-voluntario-5-oportunidades-para-viajar-quase-de-graca/

Neste outro artigo, Rodrigo Belasquem compartilha ótimas dicas e relata suas experiências de viagem e voluntariado em hostel na Holanda e na Croácia; cuidando de cavalos na Alemanha; reformando uma antiga estação de trem na República Tcheca; ensinando inglês no Vietnã e numa empresa social – Earth Heir – que procura reduzir a exploração do trabalho de artesãos, incentivando a preservação cultural desta arte e reduzindo o impacto ambiental na indústria da moda, na Malásia.
https://www.dicasdeviagem.com/como-ser-voluntario-pelo-mundo/

31_turismo social_rodrigo-2

Outras dicas no Brasil e no mundo pelo Guia Viajar Melhor.
https://www.guiaviajarmelhor.com.br/viajando-o-mundo-como-voluntario-viagem-para-o-bem/

31_turismo social_rodrigo

A Revista Glamour compartilha algumas interessantes histórias e roteiros.
https://revistaglamour.globo.com/Lifestyle/noticia/2017/10/ferias-do-bem-conheca-roteiros-de-viagem-que-unem-voluntariado-lazer.html

O site Nômades Digitais compartilha sobre o site Para Onde? criado pela portuguesa Inês Ferrão, que oferece 150 oportunidades em 68 países, desde projetos disponíveis a financiar integralmente a estada do voluntário, passando pelos low-cost (normalmente, pequenas organizações locais que pedem uma contribuição para cobrir as despesas com estada e alimentação) até o cada vez mais famoso work exchange, em que  o trabalho é pago com acomodação e refeições. Trabalho com crianças, animais, direitos das mulheres, jornalismo, esporte, educação ou artes são algumas das opções. http://nomadesdigitais.com/site-portugues-reune-ofertas-de-voluntariado-pelo-mundo/

Mais algumas agências de intercâmbio social que conecta voluntários com diversos projetos ao redor do mundo. Com parcerias com relevantes ONGs do mundo para poder proporcionar a pessoas dos mais variados perfis uma experiência de curto prazo em uma organização de ajuda humanitária. Cuidam de todo o planejamento e burocracia e montam uma experiência capaz de aliar diversão e a realização pessoal de colaborar com uma causa importante para o nosso planeta.
http://exchangedobem.com/ e https://volunteervacations.com.br/

Por fim, um relato muito bacana da Amanda Antunes do blog Prefiro Viajar que fez uma linda viagem pela Amazônia que incluiu trabalho voluntário. Foi um turismo com base comunitária, misturando atividades turísticas e atividades de voluntariado para desenvolver as comunidades ribeirinhas. Nesse artigo ela compartilha sua experiência em detalhes além de todos os valores gastos durante a viagem.
https://prefiroviajar.com.br/brasil/viagem-para-amazonia-roteiro-20-dias

E vale seguir a Leticia Mello e seu projeto Do For Love também nas redes sociais porque tem muita dica e orientação sobre viajar com trabalho voluntário, além do próprio livro.
https://www.facebook.com/doforloveproject/http://www.doforloveproject.com/

No livro “DoForLove” Leticia fala sobre projeto do Jason, que recebe voluntários para ensinar inglês em troca de acomodação, alimentação e de uma experiência única baseada na generosidade e no amor. Ela costuma indicar por saber do quanto ele está comprometido com o que faz. E um dos personagens que aparece no documentário “Um dia eu voltaria” é o André Silva, que na época leu o livro enquanto morava na Califórnia e se jogou para a Tailândia para ser voluntário. Para saber mais, ele fez um post no blog dele http://rotaunica.com.br/voluntariado/ e pode pesquisar no site do projeto. http://www.freevolunteerthailand.org/

Indico também um outro vídeo da Leticia Mello muito inspirador feito quando ela ainda estava terminando sua viagem de voluntariado para quem anda precisando de um empurrãozinho.. ;)

Imagens: Sites de referência citados no artigo

Leave A Comment

Related Posts