MULHERES VIAJANTES

Na última semana pude conferir no Rio de Janeiro alguns eventos relacionados ao tema mulheres viajantes e mulheres que viajam sozinhas e fiz uma reflexão compartilhando indicações de artigos, matérias e livros.

O primeiro foi o 1º Encontro Nacional de Mulheres Viajantes cuja proposta era uma troca de ideias com mulheres convidadas – blogueiras, empreendedoras, psicólogas, uma diversidade bem grande de olhares voltados ao turismo para mulheres – para debater e compartilhar experiências e falar de tudo que envolve a vida de uma mulher viajante: segurança, hospedagem, interação, autoconhecimento, sororidade entre outros assuntos.

30_encontro mulheres viajantes_1

O encontro foi promovido pelo Na Estrada com as Minas, projeto carioca formado por uma equipe feminina apaixonada por viagens e turismo. O Projeto é uma Rede Colaborativa de Apoio a Mulheres Viajantes, que visa promover um debate sobre a Mulher no Turismo Mundial. Tem como base um site informativo, para compartilhar histórias, dicas, casos de sucesso e superação entre outros e criou uma iniciativa de levar mulheres a conhecerem os Pontos Turísticos da Cidade do Rio de Janeiro. Também vem se consolidando como um espaço aberto de acolhimento.

O segundo evento foi o lançamento com um bate-papo do livro “Bravas Viajantes – histórias de sete mulheres se aventurando sozinhas por sete cantos do mundo” editado pelo autor de guias de viagem Zizo Asnis da editora O Viajante. Zizo também oferece o curso “Travel-Writer”, incentivando mais viajantes a conciliarem a arte de viajar com a arte de escrever, do qual participei alguns anos atrás onde conheci a Samantha Chuva e a Louise Palma, duas das sete escritoras-viajantes do livro.

30_bravas viajantes_3Sete mulheres, cada uma viajando – sozinha – por um canto diferente do mundo. Essa é a premissa do livro. São histórias emocionantes e inspiradoras que pretendem mostrar que viajar sozinha significa, além de conhecer o mundo, conhecer a si mesma.

30_bravas viajantes_2

Cada vez mais se fala de empoderamento feminino, desigualdades de gênero e movimentos feministas – que bom! As mulheres, no Brasil e no mundo, estão mostrando que não há limites do que elas podem fazer e até onde elas podem ir.

Segundo o Ministério do Turismo, a porcentagem de mulheres que optam em viajar sozinhas se sobrepõe à de homens com a mesma preferência.  Um levantamento do Trip Advisor realizado em 2015 garante que, enfim, as brasileiras estão perdendo o medo de sair pelo mundo em sua própria companhia e afirma que 25% das mulheres brasileiras já viaja sozinha.

Porém, muitas vezes, essa prática ainda é vista com preconceitos ou descabidas preocupações. O que, para muitas mulheres, é algo natural e maravilhoso – viajo sozinha desde os 18 anos e, para mim, não tem forma melhor de viajar – para outras é uma enorme dificuldade.

Percebi nesses encontros o quanto ainda existe de preconceito mesmo entre as mulheres, de preocupações em relação à opinião do outro e de medos exagerados. Acredito também que a quantidade de eventos, livros, o crescente número de artigos sobre o tema e a receptividade mostram o aumento do interesse e o quanto está mudando.

Existem muitas situações: aquela que adoraria viajar sozinha mas tem medo, aquela que deixa de viajar porque não tem companhia e nem pensa que poderia ir sozinha e ainda a que acha que não iria gostar de viajar sozinha. Acredito que informação é o essencial.  Penso que é uma experiência que todo mundo deveria passar pelo menos uma vez na vida para tirar suas próprias conclusões.

Quem for do Rio de Janeiro, pode participar dos encontros e passeios guiados das meninas do Na Estrada com as Minas cuja função em especial é criar uma rede de apoio, incentivo e troca de experiências.

Hoje, muitas cidades tem esses passeios guiados que, além de ser uma excelente prática de turista-viajante na sua própria cidade, ver sua cidade com outros olhos e adquirir mais conhecimento, pode ser uma forma de primeiro passo para experimentar e estar aberto para o novo, sem sair da sua cidade.

Por isso deixo aqui alguns artigos de outras maravilhosas mulheres viajantes solo, para quem anda precisando de um empurrãozinho para, enfim, cair sozinha na estrada.

A Amanda Noventa do blog Amanda Viaja tem uma seção toda dedicada ao assunto viajar sozinha com diversos artigos bem interessantes.

A Mari Campos do blog Mari Campos.com também tem uma seção inteira dedicada ao tema com diversos textos como esse “Viajar sozinho: 7 razões para você experimentar”, além de um livro “Sozinha Mundo Afora”, lançado no final de 2011, que dá dicas gerais para estimular quem ainda está insegura a ganhar o mundo em sua própria companhia sem medo. Questões de segurança, detalhes de bagagem, aspectos culturais, o tabu de comer sozinha, sair sozinha à noite e relacionamentos na estrada são apenas alguns dos muitos tópicos abordados no livro. Tudo isso de um ponto de vista bem prático, pontual, com base no que viu nesses anos de andanças solo pelo mundo e nas dúvidas, relatos e experiências de suas amigas e leitoras.

Além disso, o livro reúne depoimentos de mulheres de todas as idades que viajam (nem que seja somente uma vez ou outra) sozinhas por aí, com os mais diferentes estilos (algumas delas, figurinhas bem conhecidas da blogosfera viajante, como a Dri Setti, a Lucia Malla entre outras).

E aqui uma entrevista bem bacana com a Mari para o site Expedia onde ela compartilha conselhos e informações.

“Viajar sozinho faz bem para gente. Para se conhecer melhor, conhecer melhor o outro, testar seus limites, reafirmar preferências. Viajar acompanhado pode ser maravilhoso mas acho que nos abrimos muito mais, para nós mesmos e os outros, quando viajamos sozinhos.” Mari Campos

Para concluir a semana, assisti, e recomendo fortemente, o documentário no canal Futura no MundoDoc “Um Dia eu Voltaria” produzido por Leticia Mello em parceria com o cineasta Lucas Bogo. Gaúcha de 28 anos, Leticia é escritora e idealizadora do projeto Do For Love Project. No livro “Do For Love”, ela relata o que aprendeu em sua viagem de 6 meses como voluntária no Sudeste Asiático (Tailândia, Camboja e Vietnã) e nos faz refletir sobre as nossas escolhas e sobre o que realmente nos motiva.

Depois de lançar o livro, ela voltou à Asia para gravar um documentário independente revisitando os lugares das histórias contadas e reencontrando importantes personagens. O filme foi financiado por um crowdfunding e pela venda de livros e camisetas. Destaco aqui alguns trechos que me marcaram para inspirar as mulheres que desejam voos maiores… :-)

“Quando eu resolvi sair pelo mundo, eu não tinha certeza do que eu queria com isso.  Mas eu queria algo que me preenchesse, eu queria algo mais. E quando você sentir isso, você não precisa da condição perfeita. A espera, com o tempo, acaba se transformando em conforto, em desculpa. Ao invés de tentar achar o melhor momento para tomar uma atitude, inspire-se em suas próprias decisões, em seus próprios erros. Não tem nada pra você se preocupar, a não ser, se sentir vivo de verdade.”

“Passamos muito tempo vivendo de desculpas. Algumas pessoas, a vida toda. Me libertei disso quando resolvi encarar um sonho. E percebi que tinha todas as condições para realizar. E que as desculpas que criamos são na verdade o medo de ver o sonho se realizando. Hoje, meu maior sentimento é de gratidão e de respeito aos meus próprios sentimentos. Pensar que tudo que eu vivi, todas as pessoas que conheci, os sorrisos, os lugares, as situações e os momentos inexplicáveis que eu pude vivenciar vieram dessa simples atitude, um tanto louca, de atravessar o mundo para voluntariar em troca de alimentação e acomodação. Cada experiência e cada aprendizado só existem por eu ter acreditado naquilo que não era explicável para a maioria das pessoas. Hoje, eu tenho muito mais medo de não viver do que morrer, já que a morte é inevitável e imprevisível e a vida é uma escolha diária.”

~ O QUE VOCÊ ESTÁ ESPERANDO??! ~

Links das referências citadas:
Na Estrada com as Minas
https://www.facebook.com/naestradacomasminas/
http://naestradacomasminas.com.br/
O Viajante
http://oviajante.uol.com.br/
https://www.facebook.com/oviajante
Mari Campos
http://www.maricampos.com/viajar-sozinho/
Amanda Viaja
http://www.amandaviaja.com.br/category/viajar-sozinho-2/
Projeto Do for Love – Leticia Mello
http://www.doforloveproject.com/
https://www.facebook.com/doforloveproject/
Imagens do artigo: Divulgação
Imagem de capa: rawpixel.com no Unsplash

Leave A Comment

Related Posts