UM MUSEU ROCK AND ROLL NA DINAMARCA

O Museu do Rock da Dinamarca é um novo museu dedicado ao rock, pop e essencialmente à cultura jovem que abriu as portas há exatamente um ano na cidade dinamarquesa de Roskilde, antiga capital do país a cerca de 30km de Copenhage, que sedia um dos três maiores festivais de música na Europa, junto com o Sziget Festival na Hungria e o Festival de Glastonbury no Reino Unido.

O Festival de Roskilde foi criado em 1971 por dois estudantes, Mogens Sandfær e Jesper Switzer Møller, e o promotor de eventos Carl Fischer. Em 1973 o festival passou a ser organizado pela Sociedade do Festival de Roskilde, que desde então administra o festival como uma organização sem fins lucrativos para o desenvolvimento da música, cultura e humanismo. Portanto, não poderia haver lugar mais apropriado para um museu dedicado ao rock e cultura pop.

26_RockMuseum01_Roskilde_∏Ossip
Foto: ∏Ossip

Arquitetura Irreverente

Além disso o design é uma preocupação inerente à cultura e à vida quotidiana dos dinamarqueses. O projeto foi concebido através de uma colaboração entre as célebres empresas de arquitetura (conhecidas como “starchitects”), a holandesa “MVRDV” e a dinamarquesa “COBE”.

Devido ao seu icônico exterior dourado e irreverente, e ao seu interior aveludado vermelho, Ragnarock, nome com que o museu foi batizado, é descrito pelos seus criadores como sendo um edifício que faz jus ao espírito do rock’n’roll. A arquitetura ousada tanto externamente como internamente enfatiza a história e a atmosfera que o museu transmite.

O museu faz parte do “ROCKmagneten” (“Rock City” – o distrito Musicon, a poucos passos do local do Festival Roskilde), um plano projetado para o local de uma antiga fábrica de cimento que a COBE e a MVRDV ganharam juntas em 2011. A área já foi designada como bairro criativo e o museu no coração desta transformação está aberto ao público durante todo o ano.

Ragnarock, pretende ser o mais leve possível no que diz respeito ao modo como se coloca no solo, com a intenção de preservar o carácter cru e informal do local, que antes era usado por patinadores e artistas. A nova estrutura para as fábricas, com quatro apoios, leva os visitantes para dentro do museu e para o auditório acima. A divisão clara, identificada por uma separação de materiais, distingue o velho e o novo; concreto bruto, em contraste com pregos vermelhos vívidos. A combinação de materiais irradia uma atmosfera do rock; desde a fachada repleta de alumínio anodizado dourado e que presta homenagem a cantores ao longo da história do rock, para o interior vermelho vivo, uma reminiscência do veludo macio de um estojo de guitarra.

A experiência em todo o edifício leva os visitantes a uma viagem para a vida de uma estrela do rock, combinando o tradicional museu com exposições imersivas. O tapete vermelho da entrada, a ascensão à fama até o espaço de performance que paira no ar, e a inevitável descida até o bar.

Ver, ouvir e sentir

O museu estende-se por quatro andares e contém uma série de funções públicas, como uma grande sala de exposições, auditório, biblioteca, estúdios de gravação, loja, café, oficinas, pátio e um local para música ao ar livre.

Ver, ouvir e sentir o caminho através da história da música rítmica do rock dos anos 50, da cultura pop dos anos 80 até os ritmos selvagens de hoje – para ter uma ideia da cena musical de amanhã.

  • Fotos: ∏Ossip

Mas Ragnarock é mais do que uma montanha-russa na colorida história da música. Primeiro e acima de tudo comunica o desenvolvimento da cultura juvenil, contada pelo som, as imagens e os símbolos da música rock e pop. É uma história sobre como os jovens têm movido fronteiras através da música, e como eles afetaram a sociedade, por exemplo. Novas formas de dança, hábitos de consumo, visões políticas, estilo, uso de tocadores de música e novas tecnologias. A história é sobre nós, quando ouvimos música, quando dançamos, lutamos, criamos e adoramos ídolos.

Desde a década de 1950, a juventude expressou-se através da música rock e pop em suas muitas formas. A música é um dos mais fortes movimentos culturais do século XX e XXI, e é esse movimento que a Ragnarock comunica e documenta.

Ragnarock é também um excitante Exploratorium. O visitante pode participar do maior coro do mundo, dançar no caminho através da história e encontrar sua música favorita. O museu apresenta continuamente ao longo do ano muitos eventos interessantes – desde concertos, filmes e atividades infantis até palestras, exposições e eventos corporativos. O museu é uma jornada caleidoscopical através de diferentes temas, que faz engajar, ativar e suar.

~ MUSICA, DESIGN E ARQUITETURA = VIAGEM PERFEITA! ~

Museu Ragnarock http://museumragnarock.dk/en/
Rabalderstræde 16, Musicon – Roskilde
Funcionamento:
terça, sexta e sábado 10h às 17h.
quarta e quinta 10h às 22h.
Ingresso: 90 DKK
Fontes: ArchDaily Brasil, Site oficial da Dinamarca, Site oficial Ragnarock, Site Visit Roskilde

Leave A Comment

Related Posts