SESC 24 MAIO: UM EXEMPLO DE REUSO NO CENTRO DE SÃO PAULO

Visitei recentemente o novo Sesc 24 de Maio, inaugurado em agosto, mais um marco na revitalização dos espaços de convivência do centro de São Paulo.

Um tema que muito me interessa e costumo exaltar aqui no site e compartilhar nos canais do Cities nas redes sociais é a importância da reutilização e ressignificação dos espaços. Inclusive escrevi esse artigo sobre o exemplo da Holanda no reuso de espaços. Não poderia deixar de escrever sobre o Sesc 24 de Maio, um exemplo de reutilização com um projeto espetacular.

O EDIFÍCIO

No coração da cidade, a poucos metros do Theatro Municipal, o edifício de treze andares, que já foi a sede da loja de departamentos Mesbla, começou a ser reformado em 2009 sob a coordenação do arquiteto ganhador do Pritzker 2006 e do Leão de Ouro 2016 Paulo Mendes da Rocha e do escritório MMBB Arquitetos.

O projeto transformou os espaços internos do prédio construído nos anos 1930 e criou uma nova estrutura central que suporta a piscina na cobertura do edifício. A estrutura externa foi aproveitada onde o concreto, marca do modernismo brasileiro, dá total personalidade ao local, e tornou um mirante do skyline histórico do centro.

Palavras do arquiteto: “Isso tudo já estava aqui, era só dar uma arrumadinha.” No caso, a “arrumadinha” foi derrubar uma série de estruturas antigas, escavar o subsolo para construir um teatro, fincar quatro enormes pilares para sustentar uma piscina na cobertura, criar uma rede de rampas em zigue-zague para a circulação e depois selar tudo com uma pele de vidro. Quem olha agora para o novíssimo centro cultural no coração de São Paulo não reconhece mais o prédio abandonado que estava ali há quase 20 anos.

28_sesc-11 28_sesc-3

O CENTRO DE SÃO PAULO

Do alto do prédio (13º andar), é possível ver pontos icônicos da cidade, como o Theatro Municipal, a Galeria do Rock e o famoso Edifício Altino Arantes, conhecido como Edifício Banespa (que também reabrirá como centro cultural), localizado à beira do Vale do Anhangabaú. O pôr-do-sol refletido na piscina é um encanto à parte, infelizmente agora aberta apenas para credenciados.

A EXPOSIÇÃO “SÃO PAULO NÃO É UMA CIDADE – INVENÇÕES DO CENTRO”

A exposição em cartaz “São Paulo não é uma cidade” foi criada especialmente para o Sesc e apresenta uma possibilidade de leitura do centro de São Paulo a partir de conceitos de cidade e os contextos da história, arte, arquitetura, indústria, comércio e lugares emblemáticos assim como sobre pessoas, ofícios, saberes, cotidianos dessa composição urbana complexa e diversa.

28_sesc-13 28_sesc-12

Com curadoria de Paulo Herkenhoff e Leno Veras, a mostra (5º andar) traz mais de 400 peças, entre elas fotografias, maquetes, gravuras, pinturas e instalações, que contam a história visual do centro de São Paulo. Artistas como Alfredo Volpi, Geraldo de Barros, Claudia Andujar, Anna Maria Maiolino e Rosana Paulino compõem a exposição. Em cartaz até 28 de janeiro de 2018.

28_sesc-14

O MOBILIÁRIO

Apresentado pela primeira vez no setor Design da SP-Arte/2017, o mobiliário foi especialmente desenvolvido por Paulo Mendes da Rocha para o Sesc 24 de Maio. As cadeiras e mesas seguem o desenho moderno do prédio.

OS ESPAÇOS DE CONVIVÊNCIA

Uma das melhores coisas do Sesc são os amplos espaços de convivência. A biblioteca (4º andar), por exemplo, é completamente aberta a consultas (empréstimos apenas mediante cadastro). Além disso, um restaurante (2º andar) e um café (11º andar) permitem um lanchinho no meio da visita.

Fotos: Arquivo Pessoal Fernanda Maia @femaia

SESC 24 DE MAIO
Rua 24 de Maio, 109 – República (SP)
De terça a sábado, das 9h às 21h; domingo, das 9 às 18h
Estações mais próximas: Anhangabaú (linha vermelha) e República (linhas vermelha e amarela)

 

Leave A Comment

Related Posts